Você conhece os Griots?

Desde muito tempo o ser humano busca destacar sua passagem na terra, mas nem sempre todos os atos e acontecimentos são perpetuados na história e relembrados pelas sociedades posteriores. Durante as eras, alguns contadores de história que buscavam dar continuidade à sua cultura e aos feitos históricos de sua sociedade foram surgindo e tendo papel muito importante. Na África essas pessoas ficaram conhecidas como Griots.

            Na cultura africana, os Griots possuíam como seu objetivo principal preservar conhecimentos e transmitir a cultura do seu povo através do que conhecemos como História Oral. Desta forma, ao invés de escreverem livros de contos que demonstrassem representações de sua cultura, estes elementos eram transmitidos através da fala, o que traria uma proximidade maior entre aquele que conta a história e seu ouvinte.

            O papel dos Griots é, de fato, muito importante para que seja possível ter acesso à cultura dos povos africanos desde a antiguidade. Sem sua reprodução e preocupação em perpetuar os contos e práticas culturais, muitas fontes de estudo seriam praticamente inacessíveis ou inexistentes, sem contar que a própria cultura daquele determinado povo poderia ser comprometida.

            Este vídeo pretende abordar a prática dos Griots nas comunidades localizadas em Moçambique, Congo e Mali, visando divulgar e tratar das questões acerca das tradições, da cultura e memória, e principalmente da importância da oralidade que os Griots possuem. Toda esta atividade foi desenvolvida em conjunto entre os alunos do 7º ano do ensino fundamental, do colégio Ateneu de Londrina, e os alunos do 3º ano do curso de graduação em História da Universidade Estadual de Londrina, como parte da disciplina “Metodologia e Prática de Ensino” e “Estágio Supervisionado”, no segundo semestre do ano de 2019. A bibliografia central utilizada foi o capítulo “A tradição viva”, escrito por Amadou Hampâté Bâ – escritor malinês que, inclusive, foi um Griot – quese encontra no livro “História Geral da África – Volume 1”. Além deste, foram utilizados mais dois livros que compila diversos contos africanos, um deles disponibilizado no site da Universidade Federal de Santa Catarina, e outro que foi escrito por Butoa Balingene – professor congolês – cujo nome é “Alguns contos africanos”.

Clique aqui e confira mais no vídeo produzido pelos alunos do Ateneu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *